O volume que ora se apresenta à fruição do leitor é o resultado de um trabalho iniciado em dezembro de 2015, quando fui recebido pelo já centenário Hélio Leôncio Martins, em sua casa, para uma longa e deliciosa conversa, a primeira das mais de três dezenas que, transcritas, compõem esse livro.
Fascinado pela biografia do almirante pioneiro, que nos deixaria cerca de sete meses depois, interessei-me em adquirir seus livros e em saber mais a
respeito de sua trajetória. O que, durante o contato pessoal, já havia intuído sobre a sua envergadura intelectual e sua visão de mundo, comprovei pela leitura de sua obra. Compreendi, então, que a série de depoimentos que começava a coletar era apenas uma ‘porta de entrada’ ou uma ‘primeira chave’ para mergulhos mais profundos na atuação dos sócios do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IHGB). Daí o nome com que se batizou a presente edição: ‘Contribuições para a história…’

Se, por um lado, servi-me das valiosas técnicas da ‘história oral’, com as quais os historiadores frequentemente realizam suas tarefas, por outro, em nenhum momento afastei-me do lugar que sempre ocupei: sou um jornalista. Escolhida a fonte, estudei a respeito dela, fiz perguntas, levantei dados, organizei narrativas e, agora, as divulgo. Não disponho da formação científica requerida pelo exercício da investigação histórica e tenho absoluta consciência disso. O que ofereço na presente coletânea é um roteiro organizado de informações sobre trinta e seis personalidades, na esperança de facilitar, no futuro, o labor dos pesquisadores profissionais. Vale frisar que a íntegra dos depoimentos aqui reunidos também se encontra em vídeo, disponível para consulta na Biblioteca do IHGB, em sua sede, no Rio de Janeiro.

Registrar em letra de forma o que disseram os entrevistados é fundamental. Flagrar sua imagem em movimento, no entanto, é acrescentar dimensão preciosa ao produto obtido. Pelos filmes será possível, em qualquer tempo, contemplar detalhes capazes de caracterizar, com fidelidade ainda maior, um personagem, sua época e seus costumes.

Por último, é preciso destacar: devo o privilégio da realização desse empreendimento ao professor Arno Wehling, que desde 1996 lidera, com a competência e o brilho conhecidos, os destinos do IHGB, a Casa da Memória Nacional. Não fosse seu apoio, tal projeto não se haveria concretizado. Estendo meus cumprimentos a toda a sua equipe, e, de modo especial, à querida amiga Tupiara Macareth, que desempenhou papel indispensável à viabilização dessa apaixonante aventura.