Cultura é desenvolvimento

Quando li o primeiro número da revista Manzuá, não tive dúvida: publicação dessa qualidade precisa continuar. Agrada os olhos, a mente e o coração. Traz palavra inteligente e, sobretudo, sensível, atenta ao que importa. Resgata o que estava esquecido, dá atenção a pessoas cuja voz queremos ouvir, valoriza a vida do povo. E a sua cultura.

O que você vai ler nas próximas páginas mostra um pouco do jeito de ser e de viver de várias comunidades do interior das Minas Gerais. É um privilégio escutar o que elas têm a dizer. Dá para aprender um bocado. Sobretudo sobre a natureza e, em especial, sobre as águas, elemento que alimenta o corpo e a alma.

Também dá gosto conhecer os relatos dos viajantes e dos artistas. Inspirados pelas veredas abertas por Guimarães Rosa, eles partilham sua experiência de contato com a terra e a sua gente de modo envolvente e sedutor. Dá vontade de saber mais, de pesquisar, de conferir tudo de pertinho…

Por tudo isso, é uma alegria para o BDMG Cultural contribuir para com o lançamento do segundo número de Manzuá, uma revista que vê a Cultura do mesmo modo que nós. Não como privilégio, favor ou supérfluo. Mas como direito, motor de desenvolvimento econômico e fator de inclusão social.

Boa leitura!